Review: a fragilidade de Arca

Com este álbum, Arca mostrou o seu lado mais humano, frágil e íntimo deixando para trás a personalidade fria e, de certa forma, distante dos trabalhos anteriores que pareciam carecer de um certo toque pessoal que os tornassem mais acessíveis e compreensíveis – em suma mais humanos.

Anúncios

Review de Do=S de Diogo Piçarra

Ao produzir um álbum com apenas 10 faixas e pouco mais de meia hora de duração, Piçarra soube selecionar o conjunto ideal de faixas para que Do=s não se tornasse demasiado aborrecido ou repetitivo.

Review: a viagem atribulada de Nelly Furtado

The Ride parece pegar em alguns dos elementos de Whoa, Nelly! e transforma-os em algo totalmente oposto mas ao mesmo tempo relacionável – em vez de uma Nelly infantil e brincalhona que sonha sempre mais alto, temos uma Nelly séria e mais realista que já não quer sonhar tão alto mas que continua a andar de mãos dadas com o folk e, desta vez, coloca a eletrónica num posição de maior destaque.