Review: o vício, dor e saudade de Lana Del Rey

Quando ascendeu para a fama, em 2012, Lana Del Rey parecia ter surgido do nada e para o nada se dirigia. Num mundo dominado pelo pop saturado e repetitivo de Calvin Harris ou LMFAO, Lana Del Rey surgiu como uma espécie de revolta contra esse som estridente que as rádios queriam enfiar goela abaixo dos seus ouvintes.
Apesar de apostar num som que se poderia chamar de soft pop ou pop barroco, Lana sempre teve um bom ouvido para melodias que ficassem na memória de quem ouvisse a sua arte e em Lust For Life provou-o de novo, talvez melhor que nunca.

Lust For Life conta com 16 faixas, somando uma hora e doze minutos de música que começam com a já conhecida “Love”, lead single deste novo trabalho da cantora, à qual se segue a faixa homónima que gerou um certo buzz pela participação de Abel Tesfaye, mais conhecido pelo nome artístico The Weeknd.
Embora estas duas faixas sejam solidamente boas, especialmente a primeira, “13 Beaches” marca o verdadeiro arranca de Lust For Life num autêntico mantra eletrónico com piano à mistura, sem esquecer a hipnotizante performance vocal de Lana, um mimo!

Não é apenas o instrumental que sobressai nesta faixa, a letra vai tocar no mais frágil ponto daqueles que ainda estão apaixonados por alguém que não lhes foi correspondido.

Um verdadeiro ponto a favor deste álbum é a presença de várias obras encantadoras que não perdem para “13 Beaches”. “Cherry” fica entalada no meio de duas excelentes faixas, servindo apenas de tapete para “White Mustang” – outro grande destaque deste brilhante álbum – que nos relembra “Blue Jeans” do primeiro álbum Born To Die.
Não só de auto-referências esta Lust For Life repleto, parece haver um certo toque de Radiohead aqui ou ali, mesmo na projeção da própria voz. Rumores dizem que “Get Free” se assemelha a “Creep” da banda referida anteriormente, mas isso é outra história…

Lana Del Rey não apresenta propriamente algo revolucionário na sua carreira, apenas pegou nos elementos fortes dos seus trabalhos anteriores e moldou-os em algo mais consistente. O único elemento surpresa será provavelmente a presença de diversas colaborações de outros artistas, ainda que não elevem o álbum a um ponto digno da perfeição também não estragam este magnífico trabalho.

Talvez mais do que nos seus trabalhos anteriores, Lana Del Rey tenta ao máximo colocar-se na posição de comum mortal, esquecendo o seu status de celebridade mundial em troca de emoções mais palpáveis e genuínas, algo que havia já dado pistas em Honeymoon, com o lead-single “High By The Beach”.
Ao mesmo tempo que procura emoções mais genuínas, a sua faceta viciosa continua presente em faixas como “Lust For Life” – título quase auto-explicativo – ou “Summer Bummer”, ainda que sejam quase colocadas para último plano.

Embora não estejamos perante aquele que poderia ser definido como o álbum de viragem da carreira de Lana Del Rey, nota-se uma clara sofisticação do que já havia sido apresentado antes, pelo que a “ausência” de novidades não é uma pedra no caminho definido desta viagem.
A fragilidade emocional ganha destaque, a saudade e a esperança moldam-se por entre o mantra indie e toda a atmosfera envolvente e encantadora, em que nenhuma faixa merece ser rejeitada ou colocada de parte. Destaque ainda para a colaboração com Stevie Nicks, que encontra mais facilmente um lugar em casa em comparação com A$ap Rocky ou Playboi Carti.

Sem que nos apercebamos, uma hora e doze minutos passaram assim que “Get Free” termina. A vontade de rever algumas faixas estará com certeza presente perante um final em grande para Lust For Life, que deixa bem assente que temos aqui um dos melhores álbuns lançados este ano e que fará qualquer um dançar no H do Sinal de Hollywood.

NOTA FINAL: 9.7/10

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s